Guillaume Prot – Diretor da Maison& Objet Show

Mais do que uma feira, Maison & Objet é o pólo de atenção de todo profissional. Design, casa, arte.  Guillaume Prot, diretor da Maison& Objet show, fala-nos mais sobre as novidades, tendências e iniciativas desenvolvidas.

O que há de novo na Maison&Objet deste ano? Que iniciativas especiais desenvolveu?

Um ponto-chave a ser observado é a confiança renovada das marcas no nosso universo doméstico para voltar às feiras. Para a sua terceira edição pós-pandemia, a Maison&Objet voltará a atrair mais de 2000 marcas no próximo mês de setembro. Foi muito importante para nós ajudar as empresas a recuperar a confiança nas feiras, o desejo de expor e conhecer seus clientes pessoalmente neste evento. Até agora, fomos a única feira internacional de lifestyle que acolheu um grande número de visitantes internacionais após a pandemia. Desde então, outros grandes eventos como o “Salone del Mobile” em Milão provaram a dinâmica e o interesse que as feiras podem gerar. Os visitantes mais uma vez parecem estar muito interessados em vir aos nossos eventos.

Para setembro, estamos adicionando muitas iniciativas para dar aos visitantes a oportunidade de descobrir cada vez mais novos produtos e encontrar inspiração dentro da feira. Por exemplo, o lançamento de “Future on Stage” recompensará jovens empresas notáveis em decoração, design e estilo de vida. Os três primeiros vencedores serão apresentados no espaço “Futuro no Palco” na entrada do Salão 5A da feira.

Além disso, estamos a criar pela primeira vez as áreas “Spotlight” nos setores da Objet, que permitem aos visitantes descobrir facilmente uma seleção de novas empresas criativas. Esta é uma demonstração da capacidade da Maison&Objet de federar a criação jovem e uma forma de os nossos visitantes otimizarem as suas pesquisas e a sua descoberta de novos expositores com espaços dedicados e identificáveis.

Finalmente, vamos acolher mais de 500 novas empresas na feira, o que demonstra a natureza dinâmica do mercado doméstico e a atratividade da feira para as empresas que querem revelar as suas criações e iniciar um negócio numa feira.

Outras iniciativas incluíram o reinício do nosso ciclo de eventos internacionais de networking e a mobilização dos nossos embaixadores e representantes no exterior, a fim de impulsionar a nossa comunidade. Nova York, Amsterdão, Istambul, Madrid, Milão e Tel Aviv são apenas algumas das cidades que visitamos para apresentar os destaques da feira de setembro e mapear o futuro da feira.

Em termos de inovação, o que diferencia a Maison&Objet de outras feiras do setor?

A Maison&Objet é um grande evento para descobrir as principais tendências dos nossos mercados. Estas tendências são mostradas tanto através da oferta proposta pelos nossos expositores, que ajudam os nossos visitantes a refinar a sua visão, como através dos nossos diferentes espaços que também contribuem para esta descoberta. Por exemplo, a “Designer do Ano”, neste caso Cristina Celestino, que irá apresentar o seu “Palais Exotique” no nosso restaurante Mariage Frères, ou as áreas “What’s New” desenhadas pelos nossos criadores de tendências, bem como o nosso programa “Talks”.

Por fim, o lado experimental da feira é um ponto muito importante, pois queremos que os nossos compradores tenham a experiência mais agradável e variada da sua visita, e mantê-los sempre no mix de descobrir novos produtos e fornecedores, grandes tendências de mercado e surpresas através de áreas cenográficas, às vezes imersivas, que são todas pausas surpreendentes e divertidas durante o dia.

Finalmente, o nosso evento “off”, Paris Design Week, atingiu um nível recorde de participantes este ano com quase 400 endereços em Paris, para enriquecer a experiência de visitar a feira com um programa que terá lugar na cidade com itinerários temáticos muito variados.

Mais do que o impacto na economia local, qual acha que será o maior impacto global da plataforma MOM, uma criação exclusiva da Maison&Objet?

A plataforma MOM foi lançada há 6 anos e o seu impacto tem sido grande nos últimos anos. Muitas empresas que não estavam preparadas para o cenário de 2020 usaram a plataforma para manter contacto com a comunidade Maison&Objet. Apoiamos essas interações por meio de muitas atividades online, como as Feiras Digitais (em setembro de 2020) ou Dias Digitais temáticos, destacando setores ou tipos específicos de empresas na plataforma.

Com base nos resultados muito bons registrados na MOM, comprometemos a plataforma com grandes desenvolvimentos que completarão a experiência online e trarão novos serviços aos nossos assinantes até o final do ano.

Qual é o balanço e quais são suas expectativas para este ano que ainda está a meio?

Por enquanto os resultados são muito positivos, o espetáculo está aos poucos a recuperar a sua posição pré-pandemia, e sentimos o forte apego da nossa comunidade ao evento.

Setembro será provavelmente um novo passo em termos de volume de visitantes, que está ligado ao volume de marcas, definitivamente em ascensão em setembro próximo.

Em meados do ano, estamos ansiosos pela sessão de janeiro de 2023, que também estará cheia de surpresas. Muitas marcas já confirmaram a sua participação (as vendas foram lançadas desde junho), mas mais serão reveladas na edição de setembro.