UM REFÚGIO NA NATUREZA

 

Cansado do ritmo acelerado da cidade? Delicie-se com este refúgio de fim-desemana que se encontra em simbiose perfeita com a floresta envolvente.

Inspire-se nesta casa de sonho construída pelo Atelier Norma – Nova Arquitectura em Madeira em resposta ao desejo de um casal de possuir uma casa de fim-de-semana adequada à mobilidade condicionada de um dos cônjuges. O projeto consistiu em criar uma extensão de uma casa da década de 70 em Cabeça Santa, Penafiel, fazendo-se a ligação através de um passadiço em madeira transitável por cadeira de rodas. O seu interior alberga um dormitório, uma casa de banho adaptada à mobilidade reduzida, e uma kitchenette. A casa, montada em apenas 45 dias segundo um sistema modular, tem a madeira como elemento predominante, reforçando a presença calmante da natureza.

Jorge Lira

A madeira transmite-me uma sensação de… A madeira transmite SEMPRE uma sensação de conforto, pois é uma superfície de um material celular, e por tal, nunca frio. A acústica
da madeira é inigualável pelas mesmas razões. Assim como o grau de humidade dentro de uma casa de madeira é sempre reduzido, pois a madeira “respira” e nunca condensa nem ganha fungos ou bolores, ao contrário dos rebocos.

O melhor de trabalhar com madeira é… O melhor de trabalhar com madeira é utilizar o melhor material reciclável do planeta: madeira é material lenhoso realizado pela natureza por fixação do CO2 da atmosfera, logo a madeira é o material mais ecológico, mais reciclável de todos. E como a utilização de madeira para construção requer florestas de qualidade, utilizar madeira é promover o crescimento das áreas florestais de qualidade, numa perspetiva de construção sustentável, dentro das certificações em vigor e apenas usando florestas renováveis, recusando as espécies exóticas. Que, aliás, não são boas para construção no nosso clima.

A maior dificuldade de trabalhar com madeira é… Não há qualquer dificuldade em trabalhar com madeira: pena é que Portugal tenha optado pelo desastre da mata de eucaliptos, que desvaloriza o nosso território todos os anos, a pretexto de uma enganadora indústria do papel (que pouca riqueza produz, se comparada com a riqueza produzida por florestas de qualidade e para efeitos de construção). Portugal devia investir na fileira de construção em madeira tal como outros países fizeram de há 30 anos a esta parte, como por exemplo a França.