Gólgota

Gólgota

 

O território “Caminhos do Romântico” na cidade do Porto (Portugal) apresenta característica únicas, misturando casas burguesas com habitação popular, intercalando os jardins repletos de cameleiras e outas espécies exóticas com hortas e quintais, mas também vários exemplares de arqueologia industrial. Parte dos percursos faz-se por vias que apresentam características marcadamente rurais, com muros altos, das antigas quintas e pelas fontes, chafarizes e lavadouros.

A intervenção do atelier Floret Arquitectura localiza-se no percurso que vai do Gólgota até Massarelos e compreende pontos como a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, a Casa da Agustina Bessa-Luís e outras casas burguesas e bairros operários. O Rio Douro é um elemento omnipresente.

 

 

A casa primitiva estava em ruína, tendo sido recuperada utilizando as técnicas e a linguagem arquitetónica convencional da época. A ampliação do edificado fez-se a uma cota mais baixa, tirando partido dos socalcos, recorrendo à madeira e ao betão. Os muros do perímetro foram recuperados, tal como os muros de contenção dos socalcos. No jardim foram preservadas espécies existentes e incorporadas outras de acordo com a especificidade do local. A piscina foi projetada de modo a não alterar a orografia do terreno.

 

 

O resultado revelou-se harmonioso. O terreno estende-se por três socalcos voltados a nascente num edifício com quatro pisos destinado à zona privada. Sendo uma área pequena, propôs-se a sua amplificação com a introdução de dois novos elementos: a piscina e uma área de habitação. O novo volume contempla áreas de uso mais público como o átrio de entrada, cozinha, sala e apoio da piscina.

 

 

Esta intervenção conseguiu conciliar as necessidades de uma família numerosa respeitando as a especificidade do local e o Plano Diretor Municipal.