A BRASILEIRA PESTANA HOTEL

 

O projeto de arquitetura é da autoria da APEL e teve em vista a adequação do espaço existente ao programa que era proposto – a construção de uma unidade hoteleira de 5 estrelas.

Estando o edifício d´A Brasileira, um dos cafés mais emblemáticos da cidade do Porto, carregado de história e elementos construtivos ímpares, sempre foi intenção do promotor manter e restaurar todos os artefactos detentores de riqueza arquitetónica e decorativa. Ao nível dos revestimentos exteriores, manteve-se o azulejo biselado em tom amarelo na fachada existente e o azulejo com desenho floral no piso recuado. Para o revestimento do último piso, amansardado, foi escolhido o zinco, tão presente nas coberturas dos edifícios da baixa Portuense. Nos revestimentos interiores procurou-se utilizar materiais nobres e de excelência, como mármores, madeiras, metais, azulejos artesanais e pastilhas de vidro de forma a recuperar a dignidade que o edifício teve outrora.

Como elemento de destaque da receção do hotel preservou-se a escadaria semicircular da autoria do Arq. Januário Godinho, que faz
a ligação com a cave, onde se encontram o ginásio e as salas de reuniões. Ao longo da obra, com o decorrer das demolições, surgiram situações imprevistas que condicionaram o método construtivo que se havia delineado inicialmente. O edifício, que se julgava de construção sólida e maciça, verificou-se frágil e de má qualidade. Foram necessários estudos exaustivos para chegar a uma solução de consolidação das fachadas que garantisse não só a sustentabilidade da obra, como o bom comportamento do edifício no futuro. Mesmo com a complexidade da obra, o espaço da cafetaria (gaveto) manteve-se intacto, sendo apenas alvo de trabalhos meticulosos de restauro.