Miguel Soeiro

 

O tempo é linear, mas o processo não. Nos últimos 10 anos, Miguel Soeiro tem procurado respostas, mas encontrado sobretudo novas perguntas. A busca pela simplicidade tem-no movido em direcção a um design humano, na intersecção de tensões como: a tradição e os seus materiais num mundo cada vez mais tecnológico, ou o contemporâneo versus o intemporal.

Para já, a solução passa por regressar sempre à prática e abrir o seu mundo próprio à colaboração e craft de outros. As suas peças encontram morada nas mentes (e casas) curiosas de tantos, dando significado a cada experiência. E, assim, segue o caminho, rumo aos próximos dez anos. Ninguém sabe como será o futuro, mas espera-se simples, na sua infinita complexidade.